Fundamentos na Educação Bilíngue, as Teorias na Prática

Home Fundamentos na Educação Bilíngue, as Teorias na Prática

Inspiração

By three methods we may learn wisdom: First, by reflection, which is noblest; second, by imitation, which is easiest; and third by experience, which is the bitterest.”
(Confucius 551 BC – 479 BC) 

Ser uma professora reflexiva é um desejo comum entre as profissionais da Educação Infantil. Em uma entrevista de emprego, na forma como nos descrevemos, “reflexiva” parece ser uma das palavras mais escolhidas e prestigiadas. Mas o que isso realmente quer dizer? 

Pensar não é refletir!

Claro que pensamos sobre o que acontece na sala de aula! Quem nunca perdeu o sono por não conseguir ajudar uma criança? Ou percebeu que estava planejando uma atividade durante o banho? Ou tendo uma ideia de brincadeira enquanto passeava no parque? No entanto, quando dizemos refletir, estamos falando sobre um processo específico, definido por Finlay como “learning through and from experience towards gaining new insights of self and practice”. Assim, o processo reflexivo pode ser descrito como um ciclo que inclui as seguintes etapas:

  • Ensinar
  • Autoavaliar os efeitos desse ensino na aprendizagem
  • Ponderar novas formas de ensinar para melhorar a qualidade da aprendizagem
  • Experimentar essas novas formas
  • Repetir o processo

David Kolb nos apresenta outro modelo de ciclo reflexivo que você pode usar para avaliar sua prática em sala de aula. Ele afirma que, primeiro, a professora tem uma prática concreta ou real, ou seja, vivencia essa experiência pela primeira vez. Por exemplo, você decide fazer uma atividade utilizando cores e propõe para as crianças misturar as cores para investigar se novas aparecem.

A seguir, a professora deve refletir sobre essa vivência, considerando os aspectos positivos e os pontos de melhora. Seguindo o exemplo das cores, você percebe que a escolha dos materiais foi adequada e as crianças estavam engajadas e utilizando o vocabulário esperado. Mas a mistura das tintas resultou em um grande marrom e você não conseguiu que elas observassem a criação das cores secundárias.

O próximo passo é a abstração, ou seja, dar sentido àquilo que você viveu, conectando a experiência com o que você já fez, o que você já sabe e o que precisa saber. É neste momento que você vai buscar apoio nos livros, na coordenação e nas colegas para aprimorar sua prática. Aqui, você pode receber de uma colega a dica de que “cada pincel tem sua cor” para evitar a mistura excessiva. Você pode assistir a um vídeo no YouTube sobre como trabalhar a noção de cores primárias e secundárias na Educação Infantil ou pode receber da bibliotecária a sugestão de trabalhar a leitura do livro “Mix it up“, de Herve Tullet. 

O último passo é colocar em prática esse aprendizado que você construiu, resultando em novas vivências e experiências, que devolvem você ao início do ciclo. Aqui é o momento de trazer para a sala uma nova forma de usar os pincéis, fazer uma boa mediação de leitura ou fazer novos combinados sobre como as crianças devem usar as cores. E voltar para o primeiro passo para ver como a proposta pode ser melhorada!

Com esse passo a passo em mente, você tem a receita para se tornar uma professora muito mais reflexiva e alcançar uma melhor qualidade em sua prática. E falando em prática, você sabia que a Bilinguistas oferece um curso de extensão de 120 horas chamado “O fazer pedagógico bilíngue na educação infantil”? Nesse curso, discutimos muitas ferramentas para você se tornar uma professora mais reflexiva e se sentir cada vez mais segura em relação a sua prática. Clique no botão para conhecer!


ÚLTIMOS POSTS

TAGS

brincadeira bilíngue brincar bilíngue Coordenação Bilíngue Coordenação Pedagógica Curso bilingue Curso de Extensão Educação Infantil bilíngue free play Gestão Escolar Gestão Pedagógica livre brincar Planejamento Planejamento bilíngue Professora Bilíngue Professora Educação Infantil Práticas pedagógicas Reunião de Pais Vida de Professora Well-being

Blog at WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: